Nossa primeira vocação é o amor

“Ele fez nascer de um só homem todo o gênero humano, para que habitasse sobre toda a face da terra. Fixou aos povos os tempos e os limites da sua habitação. Tudo isso para que procurem a Deus e se esforcem por encontrá-lo como que às apalpadelas, pois na verdade ele não está longe de cada um de nós. Porque é nele que temos a vida, o movimento e o ser, como até alguns dos vossos poetas disseram: Nós somos também de sua raça” (Atos 17,26-28).

A nossa primeira vocação –não pode ser outra senão amar a Deus de todo o coração, buscando uma sublime comunhão com o Senhor. Hoje, nós existimos graças a este verdadeiro amor d’Ele por nós, e nossa felicidade somente será plena quando a nossa vontade passar a ser a vontade do Senhor. Nós precisamos buscá-Lo em todas as circunstâncias possíveis para que possamos dizer como São Paulo: “Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim” (Gal 2,20).

Nossa vida, nossa família, nossos amigos, nossas alegrias e dores, não pertencem a nós, mas sim a Deus. O Senhor quer ser o único a ser adorado e o primeiro a ser amado por nós, pois Ele merece nosso amor. Ele quer todo o nosso amor, porque nos ama muito. Desse modo, ao amarmos o Senhor, aprendemos também a amar os que estão à nossa volta de uma forma inteiramente gratuita.

Que, durante este dia, nós possamos fazer a experiência de deixar que este amor puro de Jesus consuma o nosso ser. Certos de que este amor nos sustentará em todos os momentos.

Jesus, eu confio em Vós!