Quando confiamos numa pessoa, o que esperamos dela?

Quando nós amamos uma pessoa, e sentimo-nos amados por ela, a nossa tendęncia natural é confiar nela, e mais, acreditamos que a mesma sempre vai nos fazer o bem, năo é verdade? No nosso coraçăo năo passa desconfianças, e temos a convicçăo que sempre podemos contar com ela. Se agimos assim com as pessoas que surgem na nossa vida, e que săo criaturas limitadas, muito mais devemos confiar e entregarmo-nos a Deus, que nos amou e se entregou, dando-nos a salvaçăo, porque é próprio da sua natureza prover coisas boas a seus filhos. Ninguém melhor do que o Senhor sabe o que necessitamos e o que nos dar. Numa atitude de filhos de Deus que confiam no Pai, derramemos hoje o nosso coraçăo numa atitude de quem acredita na graça e na misericórdia de Deus, em qualquer situaçăo, como vemos o exemplo de Ana que confiou inteiramente no Senhor em meio ŕs suas dores. “E Ana disse-lhe: Ouve, meu Senhor, por tua vida, eu sou a mulher que esteve aqui orando ao Senhor, na tua presença. Eis o menino por quem eu pedi, e o Senhor ouviu a minha súplica. Portanto, eu também o ofereço ao Senhor, a fim que só a Ele sirva em todos os dias da sua vida. E adoraram o Senhor” (I Sm 2,26-28). Jesus, ensina-nos a confiar inteiramente na tua bondade, e a nos comportarmos em todas as situaçőes como teus autęnticos filhos. Jesus, eu confio em vós!